Antocianinas. Saiba mais sobre elas!


O termo antocianina é de origem grega (anthos, uma flor, e kyanos, azul escuro). As antocianinas são flavonoides que se encontram largamente distribuídos na natureza.
Sabe-se que, depois da clorofila, as antocianinas são o mais importante grupo de pigmentos de origem vegetal e compõem o maior grupo de pigmentos solúveis em água. Elas são estudadas em todo o mundo como agentes de coloração natural em alimentos, responsáveis pelos tons compreendidos desde a coloração vermelha até a coloração azul, ou amarela (condição alcalina) em muitas frutas, legumes e hortaliças.

Podem ser encontradas em plantas das famílias Vitaceae (uva), Rosaceae (cereja, ameixa, framboesa, morango, amora, maçã, pêssego, etc.), Solanaceae (tamarindo, batata), Saxifragaceae (groselha preta e vermelha), Ericaceae (mirtilo, oxicoco), Cruciferae (repolho roxo, rabanete), Leguminoseae (vagem) e Gramineae (sementes de cereais).

Frutas como açaí, ameixa, amora, berinjela, jabuticaba, jambolão, jussara, cereja, figo, framboesa, uva, maçã, morango e acerola, e também vegetais, como repolho roxo, batata roxa, berinjela, entre outros, são importantes fontes de antocianina na dieta. Seu consumo está associado à prevenção/retardamento de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, devido ao seu poder antioxidante, que atua contra os radicais livres.

Além de suas funções como corantes naturais, as antocianinas têm apresentado grandes benefícios à saúde por conta de suas atividades biológicas, que incluem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antimutagênicas. Pesquisas indicam que as antocianinas podem aumentar a resistência da LDL à oxidação, comparadas a outros compostos com alto poder antioxidante, como o ácido L-ascórbico, e reduzir pró-inflamatórios, como citocinas, quimiocinas, moléculas de adesão e metaloproteinases.

Desse modo, investiga-se o efeito das antocianinas no processo aterosclerótico, e há evidências de que estes compostos podem diminuir o desenvolvimento e a progressão de lesões ateroscleróticas.

As antocianinas encontradas na groselha negra e no mirtilo podem estimular a produção de rodopsina, um pigmento arroxeado presente na retina. Além disso, conferem proteção contra inflamações, degeneração de neurônios, lesão do fígado e colite.

Estudos experimentais mostraram que as espécies vegetais da família crucífera do gênero brássica, fontes de antocianinas, estão associadas ao efeito inibitório de células cancerígenas quando comparadas ao consumo de outras hortaliças, reduzindo danos ao DNA.

Alguns estudos mencionaram que as antocianinas obtidas a partir do mirtilo foram capazes de inibir o crescimento de células de câncer de mama. Outro, com a casca da groselha negra, revelou inibição do câncer de fígado. Novos estudos, porém, devem ser realizados para elucidar o mecanismo de ação das antocianinas na inibição de células cancerígenas em humanos.

Assim, é importantíssimo incluir os alimentos fonte na dieta, e manter um estilo de vida saudável, uma vez que câncer, obesidade e outras doenças citadas são multifatoriais.

Fonte: nutrify.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *